Dirummad

Maternidade e trabalho, é possível conciliar

Olá mamães, quero falar um pouco sobre a  maravilhosa e difícil experiência de ser mãe de primeira viagem e trabalhar ao mesmo tempo. Maravilhosa porque ser mãe sempre foi um sonho e me sinto muito realizada, tive uma gravidez muito tranquila e tenho uma filha simplesmente apaixonante, porém difícil porque precisava trabalhar e  minha bebê estava com apenas 4 meses de vida quando retornei da licença.

Sou fonoaudióloga, formada em 2010 e desde então sempre trabalhei como autônoma. Trabalhava em duas ou três clínicas, as vezes no mesmo dia, sempre muita correria, chegava tarde em casa e ainda tinha muitas coisas para fazer (trabalhava fora e em casa, como muitas mulheres fazem). Estava feliz com essa correria toda, realizada em minha profissão, mas lá no fundo, queria estabilidade, calmaria, segurança e realizar meu sonho de ser mãe.

Em 2013 prestei um concurso público numa cidade próxima da minha e passei numa boa colocação e torcia muito para ser chamada e ganhar a tão sonhada estabilidade e sossego. Desde então, comecei a planejar minha vida para ser mãe, mas ainda esperava por esse concurso, como se fosse um ‘sinal’, uma ‘condição’ para engravidar, porém, dois anos se passaram e nada.

No final de junho de 2015, depois de ter passado por uma gestação anembrionária, (leia aqui) descobri que estava grávida novamente. Fiquei muito feliz e nem pensava mais no concurso publico, mas estava preocupada quanto a instabilidade financeira que estava passando. Depois de 39 semanas e 4 dias de gestação tranquila, a Larissa veio ao mundo, no dia 19 de Março de 2016, as 06:45 de parto normal com 9 horas de trabalho de parto. (relato de parto).

Eu já havia esquecido o concurso e estava curtindo a maternidade, até tinha decidido que iria voltar a trabalhar somente meio período e três vezes na semana. Assim, iria poder participar de perto do desenvolvimento da minha filha e trabalhar ao mesmo tempo, já que não tinha a opção de parar definitivamente. Até que no dia primeiro de Julho de 2016, ou seja, 3 meses e 11 dias depois que minha filha nasceu, recebi o e-mail de convocação do tão sonhado concurso publico. Na hora, fiquei muito feliz, pois havia esperado isso por 3 anos e já corri atrás de tudo que precisava para aceitar o cargo.

Depois de aceitar o e deixar tudo certo e organizado para começar a trabalhar, me bateu um desespero! Como vou conseguir ficar 9 horas por dia, 5 dias da semana longe da minha filha? Liguei para o meu marido em prantos, dizendo que eu não iria conseguir aceitar, que iria voltar atrás, abrir mão da vaga e iria ficar com a Larissa. Ele conversou comigo, me lembrando o quanto esperei por isso e que eu deveria pelo menos tentar, fazer um teste e se realmente fosse muito difícil, ele me apoiaria em abrir mão do concurso publico. Então, decidi aceitar, fazer um teste e o que me deixou mais tranquila, foi o fato da minha mãe poder ficar com minha filha, assim, não teria que deixa-la em creche, nada contra, mas meu coração de mãe, não suportava o fato de deixar um bebê de 3 meses numa creche.

Comecei a trabalhar no dia 18 de Julho de 2016, a Larissa com 4 meses completos e um coração apertado, olhos marejados, dor na garganta e peitos empedrados de tanto leite. Fui com medo, insegura, mas fui, me ambientando, me acostumando e me adaptando a nova rotina e estamos nos dando bem até hoje. Realmente não é fácil, não foi fácil pra mim, quantas vezes sai de casa em prantos e deixei a Larissa em prantos, mas temos a capacidade de nos adaptar  nos momentos mais difíceis e tiramos de letra. Hoje olho para trás e vejo que fiz a escolha certa, o tempo é curto e apressado, as horas voam,  quantas coisas perdi, momentos únicos, mas quantos momentos aproveitei e aproveito ao lado dela. Não me sinto mais tão culpada, porque sei que estou fazendo o meu melhor por ela.

Se você se identificou com a minha historia, também precisa trabalhar e deixar os filhos, seja com avós, parentes, escolas, creche, não se sinta culpada, saiba que o mais importante é a qualidade do tempo que passamos com os nossos pequenos. Aqui você encontrará relatos do dia a dia, dicas de atividades que podemos fazer para aproveitarmos bem o tempo com as nossas crianças, dicas de viagens de fim de semana com os pequenos e muito amor e coragem para continuarmos nessa caminhada maravilhosa (aqui já são 2 anos) de ser mamãe e ter que trabalhar para ajudar no sustento dos nossos filhos.

4 comentários em “Maternidade e trabalho, é possível conciliar”

  1. Já amei seu blog, sonho em ser mãe, mas ainda não me sinto preparada. Umas das coisas que mais pesa na minha decisão é se de fato vou dar conta, pois não quero perder minha liberdade e quero muito continuar trabalhando.
    Amo ler relatos de maternidade.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Obrigada Lais! Realmente não é fácil, mas é possivel sim conciliar maternidade, trabalho, estudo, viagens e por ai vai!! Perdemos algumas coisas, mas ganhamos outras que compensam a perda e com certeza nossa capacidade de adaptação nos ajuda! Torço por você, com certeza se dará super bem! Um beijo.

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s